quarta-feira, 11 de agosto de 2021

7 formas de entrar em contato com editoras

Foto por Mathilde Langevin, via Unsplash.


Olá, escritores! 

Uma pergunta recorrente que sempre recebemos é: "Como posso entrar em contato com editoras?". Apesar de haver várias formas de se publicar um livro, resolvemos escrever este texto dando algumas dicas de como começar este contato. Esperamos que ajudem.


Antes de tudo

A principal dica vem antes do início da busca. Vocês devem ter em mente qual é o seu perfil como escritor, qual é o tipo de obra que vocês querem apresentar e quem é o seu público-alvo. Só assim vocês podem começar a procurar uma casa editorial que tenha relação com o seu livro. 

Bora publicar os textos engavetados? 
(Foto por Julia Joppien, via Unsplash.)


1. Participação em antologias

Enquanto vocês estiverem trabalhando nos seus livros solos, é importante participar de antologias. O motivo? Esta é uma forma fácil de conhecer editoras diferentes e seus processos de publicação. Além disso, é uma forma fácil e não-invasiva de conseguir os contatos de quem escolhe o que será publicado ou não em uma determinada casa editorial.


2. Editoras com recebimento permanente

Quando vocês estiverem com os seus manuscritos prontos, podem verificar se as editoras em que vocês gostariam de publicar têm calendário permanente de recebimento de originais. Essa informação é disponibilizada no site da casa editorial — e, normalmente, está localizada em um lugar meio escondido, então revirem o site do avesso (incluindo o rodapé!). 

Geralmente, quando há um e-mail ou um formulário para envio do manuscrito, há instruções de tipo de arquivo e formatação. Sigam tudo ao pé da letra. Se o editor perceber que vocês mandaram o manuscrito de qualquer jeito, ele nem vai se dar o trabalho de lê-lo.

3. Editoras com recebimento sazonal

Algumas editoras recebem originais de tempos em tempos. Algumas delas, uma vez por semestre; outras, uma vez por ano. Há ainda as que fazem rodízio por região (recebem sempre, mas a cada época de autores radicados em lugares diferentes). Assim como acontecem com as editoras de recebimento permanente, muitas das que recebem sazonalmente têm a informação um pouco escondida nos seus sites, então, procurem bem! 

Essas editoras também dão orientação sobre como deve ser enviado o arquivo, e vocês também devem seguir tudo exatamente como pedem. 

4. Concursos e prêmios literários 

Grandes concursos e prêmios literários, muitas vezes, estão vinculados à publicação com uma editora. Isso acontece com o Prêmio Kindle, com o Prêmio Sesc de Literatura e o Prêmio Barco à Vapor, por exemplo. Algumas dicas que deixamos são:
  • vocês montarem um calendário com os prêmios que vocês querem participar (normalmente esses prêmios acontecem anualmente, na mesma época);
  • ver o perfil dos últimos vencedores nas redes sociais, porque eles costumam deixar dicas para quem quer tentar também;
  • contratar leituras críticas, preparação e revisão de texto. Lembrem-se de que isso deve ser feito com antecedência. Quanto mais redondinho os seus textos estiverem, mais chances têm de vencer. 

5. Participação em eventos

Quando a pandemia acabar e a gente puder se aglomerar de novo, uma forma bacana é participar de eventos literários e conversar diretamente com quem trabalha nas editoras. Tanto em festas e feiras literárias, quanto em lançamentos, quase sempre há algum editor por perto. 

Se forem fazer isso, lembrem-se de controlar a ansiedade. Cheguem com calma, se apresentem, demonstrem interesse em saber do processo da editora. Sejam simpáticos! (Nós sabemos, isso parece óbvio, mas nós também temos a experiência de lidar com escritores que nem dizem quem são e já querem todas as informações.)

6. Formando redes

Fazer cursos de escrita, conversar com outros escritores, fazer parte aqui do Projeto Escrita Criativa. Tudo isso abre portas para conhecer gente, que conhece gente, que conhece gente. Entendem onde queremos chegar? Sejam sempre legais e generosos dentro desse nicho, porque o mercado editorial é um ovo e todo mundo está conectado. E justamente por esse mundo ser conectado, é possível descobrir qual editora é amor e qual é cilada.


Para conhecer as experiências de vários autores, aperte o play.

7. Agencias literárias

Algo comum no mercado literário internacional está nascendo e ganhando força no Brasil, as agências literárias. Dependendo do perfil do livro a ser publicado e dos seus orçamentos como escritores, vale a pena contratar uma agência/um agente, para fazer a ponte entre vocês e as editoras que vocês sonham.

E vocês?

E vocês que já publicaram ou tentaram entrar em contato com editoras? Vocês têm alguma dica para nos dar? Deixem aqui nos comentários deste post. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao Projeto Escrita Criativa!
Deixe o seu comentário e interaja conosco. ;)

Follow Us @soratemplates